• sáb. jul 13th, 2024

MP denuncia e pede prisão de PM que fez disparos que mataram jovem em avenida de Ribeirão Preto

0 0
Read Time:2 Minute, 50 Second

Maicon de Oliveira Santos foi denunciado por dupla tentativa de homicídio e homicídio consumado por motivo fútil. Cabe à Justiça decidir se acata o pedido de prisão e torna réu o policial.

O Ministério Público (MP) denunciou o policial militar Maicon de Oliveira Santos pela morte da gerente de loja Julia Ferraz, de 27 anos.

Além disso, pediu a prisão do agente por causa do crime, que aconteceu na madrugada do dia 14 de agosto, quando Santos fez disparos em plena Avenida Independência, uma das principais vias de Ribeirão Preto (SP).

Um dos tiros atingiu a gerente, que atravessava o canteiro central após sair de um bar, por volta das 3h. Os disparos atingiram também Gustavo Alexandre Scandiuzzi Filho, de 26 anos, e Arthur de Lucca dos Santos Freitas Lopes, de 18 anos.

Com isso, o policial foi denunciado por dupla tentativa de homicídio e homicídio consumado por motivo fútil. Agora, cabe à Justiça decidir se acata o pedido de prisão e a denúncia, o que tornaria réu o agente.

Ao g1, o advogado de Santos, Gustavo Henrique de Lima, disse que até a última atualização desta reportagem não havia obtido acesso aos pedidos do MP por conta de o sistema do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) estar instável.

“Dessa forma, sem acesso ao inteiro teor, não temos como comentar”, completou.

Prisão em flagrante e liberdade provisória
Gustavo e Arthur estavam em uma moto e teriam discutido com Santos na Avenida Itatiaia minutos antes dos disparos.

O policial militar foi preso em flagrante horas depois, mas acabou obtendo a liberdade provisória da Justiça no dia seguinte, após passar por audiência de custódia. A suspeita é de que ele tenha atirado, pelo menos, dez vezes.

À polícia, o PM, que estava de moto, alegou que agiu em legítima defesa e chegou a dizer que foi vítima de uma tentativa de assalto.

Gustavo nega a versão do policial e afirma que teria discutido com Santos porque ultrapassou um sinal vermelho ainda na Itatiaia e o PM teria se irritado e começou a persegui-lo.

A discussão seguiu até a Avenida Independência, quando as duas motos acabaram emparelhando. Foi quando, segundo Gustavo, Santos fez os disparos na direção dele e de Arthur. Um dos tiros atingiu Julia.

Os jovens também foram atingidos, mas sem gravidade. Gustavo levou um tiro na perna, passou por uma cirurgia e recebeu alta uma semana após o acidente.

O caso
A morte de Julia ocorreu por volta das 3h do dia 14 de agosto, quando ela havia acabado de deixar uma casa noturna localizada na Avenida Independência.

A vítima estava com uma outra pessoa e caminhava pelo canteiro central da via quando foi atingida. A EPTV teve acesso a câmeras de segurança de estabelecimentos próximos ao local.

Nas imagens, é possível ver que, momentos antes de Julia ser baleada, Santos parece discutir com Gustavo e Arthur.

Em determinando momento, todos param e o PM saca uma arma e atira em direção à dupla, que foge.

Pelas imagens, é possível ver que, em meio a esses disparos, Julia, que estava metros adiante da origem dos disparos, cai no meio da avenida ao ser baleada.

Segundo a Polícia Civil, dez cápsulas deflagradas foram encontradas no local do crime e apreendidas. A arma do policial foi recolhida.

Para a delegada Vanessa Matos da Costa, responsável pelas investigações, houve excesso na conduta do policial militar responsável pelo tiro.

 

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Deixe um comentário