• sáb. jul 13th, 2024

Após decisão da Justiça do Trabalho, ônibus do transporte coletivo voltam a circular em Presidente Prudente

ByReporter sp

out 30, 2020
0 0
Read Time:4 Minute, 25 Second


Sindicato decidiu suspender greve de funcionários da Prudente Urbano e aguardar o resultado de uma audiência de tentativa de conciliação marcada pelo TRT-15 para a próxima terça-feira (3), às 14h, por videoconferência. Transporte coletivo, Presidente Prudente, ônibus, Presidente Prudente, Prudente Urbano,
Bill Paschoalotto/TV Fronteira
Os ônibus do transporte coletivo urbano voltaram a circular em Presidente Prudente na manhã desta sexta-feira (30), após uma determinação do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT-15).
O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Terrestre de Presidente Prudente e Região (Sintrattepp), Wagner Schiavão, disse ao G1 que os funcionários da concessionária Prudente Urbano decidiram acatar a decisão de Justiça do Trabalho de colocar em circulação 70% da frota de veículos nos horários de pico e 50% nos demais períodos do dia.
A Justiça do Trabalho também marcou para a próxima terça-feira (3), às 14h, uma audiência de tentativa de conciliação por videoconferência e, segundo Schiavão, os trabalhadores decidiram aguardar o resultado da reunião para terem uma posição da empresa se o vale-alimentação que está em atraso vai ser pago ou não. O sindicalista adiantou ao G1 que, se o benefício não for pago, os empregados retomarão a paralisação nos trabalhos.
Diante da determinação da Justiça do Trabalho, os trabalhadores decidiram, segundo Schiavão, suspender até a próxima terça-feira (3) a greve que havia sido iniciada nesta quinta-feira (29) para aguardar o posicionamento da concessionária, na videoconferência, quanto ao pagamento do vale-alimentação em atraso. O sindicalista esclareceu que a greve só será retomada se, na videoconferência, a empresa informar que não irá pagar o benefício aos seus funcionários.
“A empresa acaba de informar a Prefeitura de que a greve foi suspensa e que os carros já estão saindo da garagem. Neste primeiro momento, os itinerários serão retomados como estavam funcionando até a paralisação. A partir da próxima semana, a Semob [Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana e Cooperação em Segurança Pública] indicará que sejam colocadas novas linhas e horários nos itinerários”, pontuou o Poder Executivo ao G1 na manhã desta sexta-feira (30).
A Prefeitura ainda reforçou que, com a suspensão da greve, fica revogado o decreto que permitia que motoristas de transportes por aplicativos, taxistas, mototaxistas e até mesmo condutores de vans escolares fizessem paradas nos pontos de ônibus para embarque e desembarque de passageiros.
A empresa Prudente Urbano confirmou ao G1 que “a liminar foi cumprida”.
Os trabalhadores da empresa Prudente Urbano, concessionária responsável pelo transporte coletivo urbano em Presidente Prudente, haviam entrado em greve nesta quinta-feira (29) em razão do atraso no pagamento do vale-alimentação.
O presidente do Sintrattepp, Wagner Schiavão, afirmou ao G1 que o valor integral do benefício é de R$ 500. Com o início da pandemia da Covid-19, os trabalhadores e a empresa entraram em um acordo e, por quatro meses, todos concordaram em receber a metade do valor, ou seja, R$ 250.
“Esses quatro meses venceram em agosto. No mês de agosto, a empresa pagou os R$ 500. Mas, em setembro, voltou a pagar somente R$ 250. Agora, em outubro, o vale-alimentação deveria ter sido pago no dia 20. Mas, até o momento, não houve pagamento. O que nós queremos é o pagamento dos R$ 250 do mês de setembro e os R$ 500 deste mês. Queremos os R$ 750”, explicou.
Conforme o sindicato, foram cerca 250 funcionários, entre motoristas, cobradores, mecânicos, equipe da faxina e demais setores da empresa, que haviam aderido à greve.
Em consequência da greve, a Prefeitura de Presidente Prudente publicou, na tarde da quinta-feira (29), um decreto autorizando, enquanto perdurasse a paralisação dos trabalhadores da concessionária Prudente Urbano, os motoristas de transportes por aplicativos, taxistas, mototaxistas e até mesmo os condutores de vans escolares a fazerem paradas nos pontos de ônibus para o embarque e o desembarque de passageiros.
Ainda na tarde da quinta-feira (29), a desembargadora Tereza Aparecida Asta Gemignani, do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, concedeu uma liminar determinando a manutenção de 70% dos trabalhadores da empresa Prudente Urbano e da prestação dos serviços de transporte público no município durante os horários de pico, e de 50% nos demais horários, sob pena de multa no valor de R$ 5 mil por empregado que não cumprir a ordem.
Na decisão, a desembargadora ainda designou uma audiência para tentativa de conciliação e instrução por videoconferência para o dia 3 de novembro, às 14h.
A liminar foi motivada após uma ação de dissídio coletivo de greve impetrada pela Prudente Urbano contra o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Terrestre de Presidente Prudente e Região.
Transporte coletivo, Presidente Prudente, ônibus, Presidente Prudente, Prudente Urbano,
Aline Costa/G1
Transporte coletivo, Presidente Prudente, ônibus, Presidente Prudente, Prudente Urbano,
Aline Costa/G1
Transporte coletivo, Presidente Prudente, ônibus, Presidente Prudente, Prudente Urbano,
Aline Costa/G1
Transporte coletivo, Presidente Prudente, ônibus, Presidente Prudente, Prudente Urbano,
Aline Costa/G1
Transporte coletivo, Presidente Prudente, ônibus, Presidente Prudente, Prudente Urbano,
Aline Costa/G1
Transporte coletivo, Presidente Prudente, ônibus, Presidente Prudente, Prudente Urbano,
Aline Costa/G1
Transporte coletivo, Presidente Prudente, ônibus, Presidente Prudente, Prudente Urbano,
Aline Costa/G1
Transporte coletivo, Presidente Prudente, ônibus, Presidente Prudente, Prudente Urbano,
Aline Costa/G1
Transporte coletivo, Presidente Prudente, ônibus, Presidente Prudente, Prudente Urbano,
Aline Costa/G1
Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %